a caverna dos sonhos esquecidos

Em 2000 fechei o século emergindo numa seara que eu não tinha muita ideia da onde estava me metendo. Fui para São Raimundo Nonato ver desenhos rupestres e na minha cabeça de anos 2000 fui também esmiuçar um centro de Brasil que mal passa na televisão. Doze anos se passaram e vi que hoje sou fruto dessa viagem que durou 10 dias mas que perdura em mim cotidianamente seja quando reflito sobre o tempo, quando dou valor real e irrestrito ao desenho e quando sinto que o miolo do interior percorre completamente em mim ora em textos que escrevo, ora em como me porto, ora em como dou aula, ora em como amo saber que fui pra la. E com quem fui e como fui.

E depois de doze anos Vera indica um filme e eu fui assisti-lo com a Mirtes porque não existe nenhum sentido eu não ouvir Vera e não fazer com Mirtes.

http://www.youtube.com/watch?feature=player_detailpage&v=gKYOdjQOaYo

E os desenhos são lindos e eu quis sair de lá e desenhar nas paredes de casa, no o buraco que vivo, que penso e que existo.

Postado por: Antonio



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *