Pina

Intenso, denso, teatral, pesado. Passei pelo choque, pelo riso, pelo conforto, pelo estranhamento tudo isso no mesmo espaço escuro da mesma sala de cinema que frequentemente vou. Quis sair dançando naquela noite de lá e hoje quero conquistar o mundo, quero dançar a dança estranha que rabisca o chão numa terra sem fim e sem tamanho mexendo os braços fazendo-os desenhar o ar. Quero desenhar como Pina dançava. E quero esse filme sempre ecoando dentro de mim para isso.

 

“Dance, dance … Caso contrário estamos perdidos.” Pina

 

Postado por: Antonio



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *